Naves Espaciais como patronos



Uma das coisas que sempre me incomodou num cenario espacial era o altissimo custo de naves espaciais. Segundo o GURPS Spaceships para um personagem comprar uma nave básica sem muitas armas, blindagem ou equipamentos, ele precisaria gastar MILHÕES!

Considerando a renda média de um NT 10 (R$ 50.000)  ou o pj teria de comprar um alto nível de riqueza, sendo um milionário, ou ele teria que gastar uma pancada de pontos em equipamentos caracteristicos. Mas isso não faria sentido para aquele seu personagem malandro contrabandista ou pirata espacial que não tem onde "cair morto" apenas a sua nave!

A pergunta que não conseguia responder era: como emular um personagem como Han Solo (e sua Milenium Falcon) numa sessão de GURPS?

Assim, quando me deparei com o artigo "The Captain’s Boat" de Rory Fansler, na revista Pyramid 3-71 Spaceships II, encontrei uma solução interessante para o meu problema. E creio que você leitor irá curtir também! É uma artigo curto e simples de apenas duas paginas...

E se a nave do personagem - seu "capitão" - fosse seu patrono? Tecnicamente um patrono, segundo o MB pg 72 é:

"Um patrono é um NPC - ou até mesmo organização inteira - que serve como  orientador, empregador, mentor ou protetor."
Ora, segundo o autor, uma espaçonave pode muito bem se adequar a esse conceito, sendo seus recursos (equipamentos, suprimentos, tripulação,  etc) vinculados ao veiculo parte dos recursos que poderiam muito bem oferecidos por um patrono tradicional!

Uma nave não é um equipamento ou uma vantagem qualquer; é um mecanismo do enredo para aprofundar a história. É o pano de fundo que descreve como o grupo pode se locomover e explica como ele seria tratado pelo universo. Ela os leva para o espaço. Ela tem algum controle sobre o fluxo da campanha, e há vantagens em ser um capitão. Em outras palavras, para a maioria dos propósitos, um navio é realmente um patrono!

Para definir o custo de pontos desse "patrono", o autor utiliza o nivel de riqueza dele como o custo da nave naquele NT. Assim por exemplo, um patrono de 15 pontos, que possui recursos 10.000 vezes o nivel médio de riqueza inicial, em NT 9 permitiria adquirir uma nave de 300 milhões, em NT 10 de 500 milhões e em NT 11 de 750 milhões e em NT 12 de 1 bilhão!

Modifique o custo pela frequência de ocorrência do patrono, que representa quantas vezes a espaçonave está envolvida mais de uma vez no enredo: Quantas vezes o navio é mais do que transporte, armazenamento de carga, isca pirata, etc.? Até em uma campanha comercial ou militar, onde aventuras giram em torno da espaçonave, o custo é baseado em quantas vezes ajuda especificamente o capitão. É um conceito subjetivo, mas que pode muito bem servir ao propósito de enriquecimento da narrativa.

O artigo ainda sugere usar as seguintes modificações:


  • Equipamento (50% ou 100%): a nave pode fornecer além dos recursos que estiverem em seu interior (equipamentos, armas, provisões, etc), recursos tangíveis e intangíveis que reduzem os custos de sua operacionalização como reabastecimento gratuito ou privilégios especiais na galáxia (por exemplo uma nave da frota estelar, poderia fornecer acesso ilimitado aos postos avançados, acesso a manutenção, reabastecimento, informações militares e cientificas, etc).
  • Altamente acessível (50%): para naves que podem ser contactadas sem restrição;
  • Habilidades especiais (50% ou 100%): naves com prestigio ou altamente requisitadas, ou que possuem tecnologia superior;
  • Informal (-50%): para um personagem que "finge" ser um capitão de uma nave;
  • Localização fixa (-50%): para uma base estelar, por exemplo, ao invés de uma nave;
  • Regras opcionais e novas idéias podem ser retiradas do GURPS Supers (na seção sobre veículos, quarteis generais, p. 83 a 85); do GURPS Social Engineering: Pulling Rank (para detalhes sobre como usar os recursos fornecidos pela sua tripulação).

Exemplo de Nave - A Baronesa

A "Baronesa" é uma nave pirata NT 10 da classe Corsário Série Loki IX modificada para resistir a ataques balisticos e feixes de energia. Ela possui um casco reforçado com Nanocompósitos e um campo de energia que "magnetiza" o casco defletindo a maioria dos ataques cinéticos como misseis balisticos e capsulas.

Como força ofensiva foi instalado em sua área frontal um canhão fixo disruptor eletromagnético: embora não cause dano real as naves inimigas, é util para neutralizar seus sistemas, desarmas seus escudos, armas e sistemas de propulsao tornando-as vulneráveis para serem abordadas! Há também uma bateria de 10 lançadores de misseis (28cm) e 20 canhões laser UV que podem ser usados para abater misseis e naves inimigas.

A "Baronesa" é uma nave totalmente automatizada e controlada por um IA que assume a forma de uma mulher de temperamento terrível, de mesmo nome da nave! Na verdade a IA é a nave!

A nave não precisa de muitos tripulantes possuindo 4 assentos na sala de controle, mais 01 na sala de engenharia. Há ainda uma cabine (do capitão, com espaço para ele e um hospede) e um aposento com quatro beliches para a tripulação, 01 baia com cama automedica (controlada pela IA), uma minifábrica (para manutenção e fabricação de peças e pequenos equipamentos) e um minilaboratório (para qualquer tipo de pesquisa científica).

Há um hangar com capacidade de 60 toneladas (normalmente carrega uma nave auxiliar de 30 tons (SM+5) e uma área de carga de 50 tons. Seu reator de antimatéria fornece energia para suas armas, escudos e seu propulsor de dobra padrão que permite viajar à velocidade da luz (1 parsec/dia) ou em velocidade sub-luz de 1G.

Ela possui SM+8 e 100 m de comprimento. Custa 222 milhões além dos custos da nave auxiliar, equipamentos e recursos que estiverem nela até o valor máximo de 500 milhões no total.

Ela é um patrono que vale 30 pontos, 10 mil vezes o nível de riqueza padrão de seu NT (500 milhões) e aparece bem frequentemente (12 ou menos).





Comentários

Postagens mais visitadas